O fantástico mundo dos bastidores


 Sinceramente, não foram poucas as vezes em que fui e voltei. Sempre estive alternando entre o paixão avassaladora e a repentina falta de inspiração. Não sei se a culpa era minha ou da rotina corrida que a vida me obrigava a ter mas chegou um momento que tive uma constatação obvia: eu não nasci para ser blogueira

 Não sou uma daquelas garotas super antenadas no mundo da moda nem aquela que tem incontáveis peças de roupa para fazer milhares de looks do dia. Não sou aquela que vai postar fotos de viagens maravilhosas todo o mês, nem mesmo conseguir fazer brilhantes tutoriais de maquiagem. E por favor, não esperem de mim um feed organizado no Instagram. Eu não tenho nem rotina de blogueira, quem dera poder acordar e me dedicar totalmente a trabalhar com o que eu amo. Só que quando o despertador toca eu tenho que acordar desse sonho e ir enfrentar a vida como ela é, infelizmente as responsabilidades não vão embora quando eu abro o blogger. E eu sinceramente não queria que fosse diferente.

 Ultimamente temos encontrado algumas pessoas nesse meio que estão dispostas a tudo por uma visualização. Videos de desafios malucos estouram os contadores do youtube e isso me faz pensar: onde que as blogueiras de raiz foram parar ? Dava para notar o amor em cada palavra escrita, pequenos comentários, mesmo que com um "segue de volta" no final, eram motivo de alegria durante semanas. Encontra-las no meio dessa busca desenfreada de ser uma web-celebridade tem sido cada vez mais difícil. E eu acho que o mais triste é esse tantão de blog abandonado depois que essas pessoas perdem a ilusão daquele glamour que achavam que iriam ter.

 A graça de ser blogueira não está em fazer inúmeras sessões de fotos ou sabe-se lá quantas parcerias e publicidades. A graça está em voltar cansada para casa e encontrar um casal no ônibus totalmente alheios ao mundo que os cerca e transformar aquilo numa cronica. Está nas noites em claro preparando postagens para conseguir ser pontual com aquele pequeno número de leitores fieis. Ou até mesmo em receber aquele único comentário naquela postagem que demorou horas. Essas coisas causam um êxtase de felicidade enorme porque a única coisa em jogo é o amor, a vontade de escrever e de ter voz para mostrar ao mundo as coisas que você pensa, e isso é melhor do que qualquer coisa.

 E enquanto isso, escrevo do mesmo local onde escrevia o meu primeiro blog, com o mesmo amor e a mesma vontade de me expressar. Aqui dos bastidores, mesmo aos trancos e barrancos, faço o compromisso de ser uma blogueira raiz, enquanto isso aqui durar. E espero encontrar mais algumas por ai <3.

2 comentários:

  1. e um canal no youtube? já pensou Ellen ? kkkkkkk Eugenio Augusto recomenda essa ideia.

    ResponderExcluir
  2. https://www.youtube.com/channel/UCmstahRqRRDes4HWTjJcRbQ

    ResponderExcluir